Instituto TIM

Tag: São Paulo

20
jul

Operações em pauta no Workshop II

O presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio, abriu o segundo dia do Workshop II de Academic Working Capital, em 19 de julho. Ele compartilhou com os estudantes um pouco de sua trajetória profissional, desde quando começou a trabalhar aos 11 anos como entregador de encomendas em um armazém até atualmente, como presidente do Instituto TIM e membro de conselhos de empresas. “Meu pai foi jardineiro a vida toda e minha mãe foi empregada doméstica. Eu ralei muito, assim como vocês fazem agora, para poder chegar à presidência de uma empresa”, disse. Manoel Horacio falou sobre atitudes que todo empreendedor deve ter, como persistência, criatividade, ética, foco e comprometimento com o projeto e o grupo. “Tem que começar pequeno e pensar grande”, recomendou.

Saiba como foi o primeiro dia do Workshop II de AWC

O dia foi dedicado a atividades relacionadas à operação dos negócios. A segunda palestra no auditório do prédio de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) foi conduzida por dois diretores da Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia (FDTE). Antonio Carlos Fonseca, diretor Administrativo e Financeiro, explicou três tipos de contratação de colaboradores – CLT, autônomo e pessoa jurídica – e os pontos de atenção na hora de calcular os custos para abrir uma empresa, reforçando a importância de ter um contador. O diretor de Desenvolvimento de Negócios, Enio Blay, apontou as diferenças e benefícios entre os ambientes de coworking, incubadora e aceleradora.

Em seguida, Silvia Takei, sócia e diretora de Operações da startup DEV Tecnologia, contou a história da empresa e os desafios enfrentados ao longo dos anos. Da criação de um equipamento tecnológico para pesquisa em psicologia na USP ao desenvolvimento de produtos e soluções na área de Internet das Coisas para grandes empresas, os quatro sócios da DEV Tecnologia passaram por diversas situações comuns para quem está começando a empreender: a burocracia para registrar a empresa, a busca por parceiros para ampliar as vendas, a tomada de decisões em relação à expansão dos negócios, entre outras. “Em uma startup, o processo de planejamento é diferente. Pelo menos no começo, a incerteza é muito grande. Você faz um planejamento de três anos e, no próximo mês, ele não vale mais nada.”

Acesse o Twitter e confira outros destaques do Workshop II

Na última palestra do dia, o sócio-diretor da Antera Gestão de Recursos, Andre Massa, explicou as diferentes opções de financiamento, ressaltando que nem todo modelo de negócio precisa do apoio de um fundo de investimento. “Captar recursos é sua última estratégia”, disse. “É um passo mais à frente. Antes disso, você tem outras opções.” Andre detalhou os tipos de empreendedorismo e as etapas necessárias para desenvolver um negócio inovador e escalável. “Tem que parar de ter empreendedores de PowerPoint para ter empreendedores que geram negócios. E, para esses, tem um monte de gente que quer investir dinheiro.”

O coordenador de conteúdo de AWC, Diogo Dutra, conversou com os participantes sobre pontos essenciais para a operação de uma startup: processos de documentação, estrutura organizacional e planejamento sistemático. Os grupos participaram de uma feira interna em que seus componentes se revezaram tanto para apresentar seu projeto quanto para conhecer os outros projetos de AWC, trocando feedbacks. Eles ainda se reuniram para discutir como vão estruturar o crescimento de seus negócios, o que será necessário para operar os recursos-chave da empresa e mapear os custos em curto prazo e para daqui a três, seis e nove meses.

Este slideshow necessita de JavaScript.

21
jan

AWC: Feira encerra Workshop I

O último dia do Workshop I do programa Academic Working Capital 2016 foi de aperfeiçoamentos nos projetos e montagem de apresentações. Os participantes assistiram a palestras sobre análise de mercado e como os investimentos funcionam, e apresentaram seus protótipos atualizados na Feira de Review de Produtos. O workshop foi realizado entre os dias 18 e 20 de janeiro no auditório e nas salas do prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo (SP).

Na manhã do dia 20, os estudantes assistiram à palestra do empreendedor Maurício Villar, um dos sócios da empresa CompartiBike, especializada em soluções de mobilidade urbana com bicicletas. “Contem a ideia da sua empresa para todo mundo, não tenham medo de expor o que está acontecendo com o projeto de vocês. A ideia principal do projeto tem que ser exposta o máximo possível”, comentou. Para ele, autoconhecimento, flexbilidade e perseverança são pontos essenciais para o desenvolvimento de uma startup. “Procurem pessoas que complementem seus pontos fracos. No meu caso encontrei um sócio com foco em vendas, competência que eu nunca desenvolvi”, acrescentou.

Confira como foi o primeiro dia do Workshop I

Gabriel Merici Oriani, um dos monitores de AWC, deu dicas sobre dinâmicas de mercado. Ele analisou tendências tecnológicas e explicou a importância de se manter atento ao que acontece na área. “Questione sempre o seu negócio e o ambiente em que ele está inserido. Também preste atenção nas pessoas que estão em torno do projeto e como elas agem. Descubra quais problemas você está tentando resolver com a sua proposta e como o mercado vê essas soluções”, afirmou. Gabriel também trouxe referências de marketing para ajudar os estudantes a tornarem seus negócios mais competitivos.

A última palestra do dia ficou por conta do investidor Marco Poli, da organização Anjos do Brasil. Ele conversou com os universitários sobre o papel dos investimentos nas novas empresas e como é a rotina de uma startup. “Trabalhar numa startup é um estilo de vida, porque vocês vão viver todos os dias com um grande risco envolvido. Porém, pode ser que em 6 ou 7 anos de trabalho vocês se sintam mais realizados do que em uma vida inteira num emprego regular”, salientou. Marco Poli também falou sobre os tipos de investimentos que existem, como investimento-anjo, venture capital e incubação.

2º dia do Workshop I teve foco no usuário 

Após as palestras, os estudantes voltaram a se reunir em grupos para trabalhar nos projetos. Eles incorporaram os feedbacks recebidos da equipe AWC e aperfeiçoaram suas apresentações com as experiências adquiridas durante esses três dias de workshop. À tarde, com as apresentações montadas em cartolinas e painéis, os universitários mostraram aos monitores, colegas e convidados suas propostas na Feira de Review de Produtos e colheram os últimos feedbacks.

Para encerrar as atividades do Workshop I, todos se reuniram no auditório. Diogo Dutra, coordenador de conteúdo de AWC, aproveitou o momento para revisar as próximas etapas do programa. Os estudantes compartilharam suas impressões sobre o workshop e comentaram o quanto essa imersão foi produtiva para o aperfeiçoamento dos projetos. A partir de agora, os participantes de AWC irão trabalhar em seus protótipos com o acompanhamento à distância dos monitores.

O próximo workshop presencial acontecerá nos dias 18, 19 e 20 de julho e será focado em prototipação. O Workshop II está marcado para os dias 12 e 13 de dezembro para a preparação das apresentações para a Feira de Negócios, que acontecerá no dia 14.

Este slideshow necessita de JavaScript.

18
dez

Treinos de pitches fecham Workshop II

O último dia do Workshop II do programa Academic Working Capital em 2015 foi dedicado à preparação dos pitches que os estudantes apresentariam na Feira de Investimentos AWC, marcada para o dia seguinte. Durante todo o dia 16 de dezembro, os grupos assistiram a palestras, treinaram suas apresentações e conheceram o local da Feira. O Workshop II começou no dia 14 e é realizado no auditório e salas do prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

A primeira palestra do dia foi a do membro do Núcleo de Empreendedorismo da USP e monitor AWC Artur Vilas Boas. Ele enfatizou que é possível transformar os projetos em grandes negócios com trabalho duro e falou da importância de uma boa narrativa para conquistar o público. “Construir uma história legal em torno do projeto ajuda os investidores e todo mundo que está assistindo à apresentação a entender melhor o que está sendo feito. A parte técnica da engenharia é apenas um detalhe que todo mundo já sabe que você domina”, comenta Artur.

Saiba como foi o primeiro dia do Workshop II

Durante a tarde, os estudantes se reuniram em seus grupos e trabalharam nas apresentações. Com orientação de Diogo Dutra, coordenador de conteúdo de AWC, eles foram refinando seus discursos e materiais sobre os projetos para a apresentação na Feira de Investimentos AWC. Para completar, fizeram uma rodada de treino de pitches e receberam feedbacks de Diogo Dutra e do professor da Poli-USP e coordenador acadêmico de AWC, Marcos Barretto.

Para encerrar o dia, Diogo e Marcos deram uma palestra final na qual agradeceram o empenho de cada um dos estudantes e aproveitaram para ressaltar o trabalho dos monitores e de toda a equipe AWC. “A partir de agora, cada dia será um frio na barriga novo e isso é o normal no empreendedorismo”, encerrou Diogo.

Segundo dia do Workshop II teve como tema vendas e patentes

Os participantes de Academic Working Capital participarão da Feira de Investimentos AWC e apresentarão seus projetos a investidores e grandes nomes do empreendedorismo. A Feira será aberta ao público e acontece no dia 17 de dezembro das 9h às 22h no Parque Tecnológico do Estado de São Paulo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

30
nov

Apoio de AWC foi determinante para Seletora de Mudas vencer Prêmio Santander Universidades

O primeiro ciclo do programa Academic Working Capital está se encerrando com uma notícia muito boa. Como alguns de vocês já viram aqui, a Seletora de Mudas de Eucalipto/Tech Muda venceu o Prêmio Santander Universidades na categoria Empreendedorismo. A equipe AWC esteve presente durante todas as etapas do projeto, auxiliando o grupo a construir seu produto. Por isso, essa conquista é um grande orgulho pra todo mundo que faz parte do programa!

“A participação de AWC foi fundamental. O [monitor] Artur Vilas Boas nos ajudou em todo o processo da competição, falávamos com ele todos os dias pedindo dicas e referências. E foi o [coordenador de conteúdo] Diogo Dutra que incentivou a gente a fazer a inscrição no Prêmio e nos ajudou com o pitch”, diz Fernando Torres, coordenador da equipe.

Para vencer o Prêmio Santander Universidades, o grupo desenvolveu um plano de negócios, que foi entregue na primeira fase do concurso, e fez um pitch, que foi apresentado na etapa final da competição. O grupo, que é formado também por Fernando Lopes e Henrique Martins, vai receber R$ 100 mil para investir no projeto, consultoria da organização Endeavor e uma bolsa de estudos na Babson College, em Boston, nos Estados Unidos.

Acompanhe as novidades de AWC pelo Twitter

Fernando explica que a participação no AWC foi muito importante para a criação do protótipo – que, por sua vez, foi fundamental para a conquista do prêmio. “E agora vamos usar o dinheiro da premiação para construir a primeira máquina”, comemora Fernando Torres. Os próximos passos do grupo são estabelecer formalmente a empresa, requisitar a patente e desenvolver a versão final do protótipo. A meta é vender duas máquinas já em 2016.

19
nov

Seletora de mudas vence Prêmio Santander Universidades na categoria empreendedorismo

Uma das equipes de AWC ganhou um reforço importante para o desenvolvimento de sua empresa. Na tarde de quinta-feira, 19 de novembro, aconteceu em São Paulo o anúncio dos vencedores dos Prêmios Santander Universidades, e o projeto da Seletora de Mudas de Eucalipto foi um dos cinco campeões na categoria Empreendedorismo.

O projeto garantiu o prêmio de R$ 100 mil para a implementação da ideia, uma bolsa de estudos na Babson College, em Boston, nos EUA, e mentoria da Endeavor, organização referência em empreendedorismo.

Fernando Antônio Torres Velloso da Silva Neto, aluno da Poli-USP e coordenador do projeto, estava presente no evento e subiu no palco da premiação junto com seu professor orientador André Leme Fleury. Também fazem parte da equipe Fernando Paes Lopes (USP), Henrique Oliveira Martins (USP) e Marina de Freitas Mendonça (FGV).

Veja a relação completa dos vencedores.  

A edição de 2015 do Prêmio Santander Universidades recebeu mais de 23 mil inscrições de universitários de graduação e pós-graduação, pesquisadores e acadêmicos em geral. Destes, 55 chegaram à final.

Assista ao evento completo da cerimônia de premiação pelo Periscope.