Instituto TIM

Tag: pitch

17
nov

Participe da Feira de Investimentos AWC 2017

Falta menos de um mês para o evento que conclui a jornada dos estudantes em Academic Working Capital 2017: a Feira de Investimentos. O evento acontece no dia 13 de dezembro a partir das 10h no Parque Tecnológico do Estado de São Paulo, em São Paulo-SP. Assim como nos anos anteriores (veja como foram as edições de 2015 e 2016), os 24 grupos contarão com estandes individuais para apresentar seus produtos a investidores, aceleradoras, empresas e outros players do mercado e receber feedbacks. Qualquer pessoa interessada pode participar da Feira gratuitamente – as inscrições são feitas por meio do site de AWC.

Além de conhecer as soluções desenvolvidas ao longo do ano pelos participantes com a mentoria e apoio da equipe de AWC, os convidados assistirão a um painel de discussão sobre empreendedorismo na universidade e a uma rodada de pitches com os cinco grupos que se destacaram em 2017. “Toda a programação da Feira é desenvolvida com o objetivo de ser um momento de aprendizagem e também de celebração”, comenta o coordenador acadêmico de AWC e professor da Poli-USP, Marcos Barretto.

Durante o evento, os grupos poderão conhecer experiências dos empreendedores convidados para o painel e vivenciar o ambiente de uma feira de negócios, por meio dos pitches e apresentações nos estandes. “A partir desse momento, eles não são mais alunos. Eles estão aprendendo a ser profissionais de negócios”, afirma Marcos. O coordenador de AWC acrescenta que a equipe do programa busca manter contato com os grupos mesmo após a Feira, para manter uma rede de contatos entre a equipe e os participantes.

Até o momento, seis grupos já fecharam contrato com seus primeiros clientes. “É uma novidade muito grande em relação aos anos anteriores”, diz Marcos. “Nossa expectativa é de que quase todos vão continuar nessa linha, os grupos parecem bem animados em empreender.”

Saiba mais sobre a Feira de Investimentos aqui no site e inscreva-se para participar!

 

 

Notícias relacionadas:
Do projeto de TCC a uma oportunidade de negócio
Backstage do negócio é tema do último dia do Workshop Online II
Os desafios e as vantagens de empreender na universidade

13
dez

Começa o Workshop III de AWC 2016

O último workshop presencial do programa Academic Working Capital em 2016 teve início no dia 12 de dezembro. Treze grupos se reuniram com a equipe de AWC no prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) para um dia de palestras e atividades. O objetivo do Workshop III é que os grupos se preparem para apresentar seus projetos na Feira de Investimentos, que acontece em 14 de dezembro.

Acompanhe a cobertura do Workshop e da Feira de Investimentos pelo Twitter

A abertura do evento foi realizada pelo professor da USP Marcos Barretto, coordenador acadêmico de AWC, e pelo engenheiro mecatrônico Diogo Dutra, coordenador de conteúdo do programa. Eles deram as boas-vindas aos estudantes, relembraram o que aconteceu durante o ano e explicaram o foco do terceiro workshop. “Essa é a nossa grande conversa nos próximos dias: o que vamos fazer amanhã, depois que terminar AWC? Vamos finalizar esses dois dias preparados para a Feira de Investimentos e com um plano de ação estruturado para os próximos seis meses”, orientou Diogo.

As duas palestras do dia mostraram pontos de vista diferentes – porém, complementares – sobre o pitch, a apresentação que todos os grupos terão a oportunidade de realizar em seus estandes para os visitantes da Feira e que cinco grupos farão a uma banca de investidores no evento. José Marques, consultor da Escola de Negócios Sebrae-SP Alencar Burti, falou o que é necessário para elaborar um pitch “quase” perfeito. “Pitch é treino, cada momento é uma forma de você melhorar. Não existe perfeição, existe melhora contínua”, afirmou. Marques apresentou as cinco perguntas básicas que devem ser respondidas em todo pitch e ressaltou que cada contexto e público exige uma apresentação diferente. No final, dois participantes se arriscaram a fazer um “elevator pitch”, em que apresentaram seus projetos em 30 segundos.

No período da tarde, Marcos e Diogo disseram que o pitch é importante, mas que muitas vezes é supervalorizado. “A maioria das pessoas acha que vender é fazer o pitch, mas não é isso. Empreender é uma constante busca. Não é só falar, tem que ouvir muito para chegar à solução ideal”, declarou Diogo. Para os coordenadores, o pitch deve ser desenvolvido como uma narrativa que busca o envolvimento do ouvinte. “Quando a gente constrói uma narrativa, precisa primeiro saber para quem estamos construindo essa narrativa. O resto vem depois”, explicou Marcos. Eles mostraram como exemplo o pitch elaborado pelo grupo que criou uma seletora de mudas de eucalipto (atualmente, a empresa MVisia) e apresentado na Feira de Investimentos de AWC 2015 e no Prêmio Santander Universidades 2015.

Os grupos também se reuniram em uma das salas de aula do prédio ao longo do dia para revisar suas planilhas financeiras e decks de slides (documento que descreve detalhadamente os problemas que envolvem o projeto e qual é a solução apresentada) junto com os monitores e coordenadores de AWC. Essas ferramentas são a base para que os grupos construam os pitch decks que irão apresentar na Feira, e que começaram a desenvolver já no final do primeiro dia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

21
dez

Assista às palestras de Renato Freitas (99Taxis) e Álvaro Novaes (Futurojá) na Feira de Investimentos AWC 2015

No dia 17 de dezembro, como alguns já viram aqui, aconteceu a Feira de Investimentos, no Parque Tecnológico do Estado de São Paulo. A Feira marcou o encerramento do semestre do programa Academic Working Capital e foi uma oportunidade para que os estudantes participantes mostrassem seus projetos a investidores e empreendedores.

Também houve duas bancas de pitches, nas quais os grupos receberam feedbacks sobre seus produtos, e palestras de Renato Freitas, cofundador das empresas 99Taxis e Ebah e Álvaro Novaes, fundador e CEO da Futurojá Angels Asset Management.

Confira a cobertura do primeiro, segundo e terceiro dia do Workshop II

Renato, que deu a primeira palestra, destacou os nove maiores aprendizados que teve como empreendedor e explicou o que dá para fazer para garantir a contratação de bons colaboradores. O empreendedor também falou sobre as dificuldades que passou e deu conselhos para que startups durem mais de 10 anos.

A última palestra do dia ficou por conta de Álvaro, que usou vídeos e fotos para mostrar sua paixão pelo empreendedorismo. Ele comentou sobre seus projetos atuais e explicou como é importante ter um propósito claro para a empresa.

Você pode assistir às duas palestras na íntegra!

Assista à palestra de Renato Freitas (99Taxis e Ebah)

Assista à palestra de Álvaro Novaes (Futurojá)

O programa Academic Working Capital também está no Twitter!

18
dez

AWC promove Feira de Investimentos

A edição de 2015 do programa Academic Working Capital foi encerrada com a Feira de Investimentos AWC, realizada no dia 17 de dezembro no Parque Tecnológico do Estado de São Paulo. Após três dias de preparo no Workshop II, os grupos tiveram a oportunidade de apresentar seus projetos a investidores e convidados. O presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio, visitou os estandes de todos os grupos e fez a abertura do evento.

“Fiquei extremamente animado ao ver a demonstração das ideias”, afirmou. “Tem gente nova, criando coisas novas e acreditando no futuro, e é disso que o Brasil precisa”. Sérgio Costa, diretor de Desenvolvimento de Negócios e Relações Institucionais da Investe SP, deu sequência à abertura da Feira. Ele falou aos convidados sobre o apoio da Investe SP a AWC e a importância do empreendedorismo. “Você tem que empreender em todas as áreas da sua vida, ser inovador, buscar soluções, lidar com incertezas”, declarou.

A Feira também contou com a presença do vice-presidente de Estratégia e Inovação da TIM, Luis Minoru Shibata. “A inovação se manifesta de diversas formas, aqui estamos vendo uma delas. Estar presente no ecossistema de inovação e contribuir para que ela aconteça no Brasil são alguns de nossos objetivos principais”, disse à reportagem.

O primeiro palestrante do dia, Renato Freitas, falou sobre sua trajetória como cofundador das startups Ebah e 99Taxis. Renato explicou os nove maiores aprendizados que teve como empreendedor, como encontrar os sócios e colaboradores ideais, entender as necessidades do cliente e pensar no propósito do negócio. “Geralmente se começa uma startup com uma ideia muito específica. Mas será que ela estará aqui daqui a dez anos?”, questionou.

Confira a cobertura do primeiro, segundo e terceiro dia do Workshop II.

A segunda palestra, já no final da tarde, foi conduzida por Álvaro Novaes, fundador e CEO da Futurojá Angels Asset Management. Por meio de imagens, vídeos e exemplos de histórias reais, Álvaro ressaltou que os empreendedores devem ter um propósito, paixão pelo que fazem e enxergar além do que os outros veem. “Vocês terão sucesso como empreendedores à medida em que usam a tecnologia a serviço da raça humana”, afirmou.

Além de apresentar seus projetos em estandes na Open Fair, realizada no período da tarde, os grupos participantes de AWC prepararam pitches de cinco minutos para explicar a criação de seus produtos e o plano de negócios desenvolvido. As apresentações foram divididas em dois momentos para bancas avaliadoras diferentes, compostas por empreendedores, investidores e especialistas na área. Após os pitches, os integrantes das bancas fizeram comentários, perguntas e sugestões aos estudantes.

Os avaliadores foram Marco Poli, investidor da Anjos do Brasil; Fernando Salatori e Alessandro Andrade, fundadores da startup Lean Survey; Rogério Nogueira, CEO da Weka e sócio das startups Colaboradores e Captr; Felipe Gasko, coordenador nacional do programa Promessas Endeavor; Ana Lúcia Fontes, fundadora da Rede Mulher Empreendedora; André Mainart, diretor de Inovação e Incubação de Negócios da Stefanini; André Ghion, co-fundador da aceleradora Move2; Raul Javales, sócio fundador da consultoria KeenLab; Leandro Queiroz, consultor da Escola de Negócios do Sebrae; e Marcos Simões, fundador da startup BigoClub.

O evento foi encerrado pelos coordenadores do programa, Marcos Barretto e Diogo Dutra.

Este slideshow necessita de JavaScript.

17
jul

AWC: Visita de investidores encerra Workshop I

O último dia do Workshop I do programa Academic Working Capital foi de aprimoramentos nas novas versões dos protótipos. Os estudantes assistiram a palestras sobre o mundo corporativo e sobre mecanismos de investimentos e, à tarde, montaram seus projetos e os apresentaram em uma Feira de Review de Produtos, realizada no prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Logo na manhã do dia 16, os estudantes receberam a visita do presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio, que falou de sua trajetória profissional e das lições que aprendeu como executivo. “Quem quer ser empreendedor precisa estar sempre pensando no tempo que quer chegar”, afirmou. Para ele, a determinação é essencial nesse processo. “Vão acontecer problemas no caminho. Quem não é determinado, desiste”, completou.

O investidor Marco Poli, da organização Anjos do Brasil, também conversou com os participantes de AWC. Ele falou sobre a mentalidade do investidor em tecnologia e mostrou cases. “O empreendedor tem que ser persistente e apaixonado pelo que faz, mas tem que amar a inovação e não o produto que está desenvolvendo”, recomendou. Marco Poli também falou sobre investimento-anjo, capital semente e venture capital, e em que etapa do empreendimento cada uma dessas modalidades foca. “Todo empreendedor precisa de ajuda. Se não vier pedir ajuda é porque tem alguma coisa errada.”

Após as palestras, os jovens voltaram a trabalhar em seus protótipos. Se no primeiro dia de workshop os estudantes chegaram com um projeto técnico, no quarto dia eles saem com seu primeiro MVP (produto viável mínimo, na sigla em inglês), já incorporando as noções de design e de experiência do usuário adquiridas durante a imersão. À tarde, com os protótipos finalizados, os estudantes montaram suas propostas e as mostraram aos investidores convidados para a Feira de Review de Produtos. Cerca de 20 pessoas conversaram com cada um dos estudantes e deram seus feedbacks.

No encerramento do workshop, todos se reuniram novamente no auditório e falaram de suas impressões. Os jovens afirmaram que a imersão foi uma troca de experiências muito importante, que fez com que mudassem a forma como viam seus produtos e a própria profissão.

Agora, os participantes de Academic Working Capital continuarão trabalhando nos protótipos, com o acompanhamento à distância dos monitores. O próximo workshop presencial acontecerá de 7 a 11 de dezembro, na USP, e será focado no preparo para apresentação e estrutura de pitch. A Feira de Negócios em que eles mostrarão seu produto já finalizado a investidores acontecerá em 11 de dezembro.

Clique aqui para ver como foram o primeiro, o segundo e o terceiro dia do Workshop I.

Este slideshow necessita de JavaScript.