Instituto TIM

Tag: palestra

13
dez

Um dia de preparação para a Feira no Workshop III

Elaboração de slides e materiais e treino de pitches: as atividades dos grupos de Academic Working Capital 2017 no segundo dia do Workshop III tiveram foco total na Feira de Investimentos, que será realizada em 13 de dezembro. Os grupos também assistiram a uma palestra e tiveram um momento final de integração, encerrando o Workshop III com muita descontração e altas expectativas para a Feira. As atividades aconteceram no prédio de Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

Saiba como foi o primeiro dia do Workshop III

awc_12_2017_0422

Para abrir a programação do dia, Miguel Chaves, da equipe de AWC, conduziu uma palestra sobre networking. Ele reforçou a necessidade de manter uma rede de contatos profissionais e deu dicas para fazer novos contatos, mantê-los e até mesmo descartá-los, caso estejam atrapalhando de alguma forma. Uma recomendação importante é estabelecer laços que vão além do mundo dos negócios. “Sempre, em qualquer conversa, não vá para vender, vá para conhecer”, disse.

awc_12_2017_0361

Após passar o resto da manhã trabalhando em seus slides de apresentação, os grupos se reuniram no auditório para conhecer os seis grupos selecionados para apresentar um pitch na Feira de Investimentos. Diogo Dutra, coordenador de conteúdo de AWC, explicou que a escolha dos grupos levou em consideração a participação e a performance durante o ano. Os selecionados foram RT AirQual, plataforma voltada para atletas de rua que monitora a qualidade do ar; RoadieBot, dispositivo que permite o controle a distância de amplificadores de guitarra e baixo; Road Labs, sistema de mapeamento de irregularidades em autopistas; SelfUp, aplicativo que ajuda coaches a gerenciarem seu trabalho; Detec, sistema de monitoramento de vazamento de amônia em indústrias de refrigeração; e Dear Grand, equipamento que monitora condições físicas e localização de pacientes com Alzheimer.

awc_12_2017_0528

Em seguida, foi a vez de praticar o pitch. Todos os grupos, inclusive aqueles que não foram selecionados para se apresentar na Feira, fizeram seus pitches e receberam feedbacks da equipe de AWC e de seus colegas via Slack. O dia foi encerrado com um momento de integração, em que os estudantes receberam certificados de participação e camisetas do programa. A equipe de AWC ainda preparou uma brincadeira e premiou cada grupo em categorias criativas, como time mais sintonizado (RoadieBot) e equipe sempre alerta (Detec).

awc_12_2017_0519

Equipe AWC e participantes compartilharam suas impressões sobre todo o trabalho desenvolvido ao longo do ano. “Nunca pensei que fosse aprender tanto sobre empreendedorismo em um ano como aprendi aqui”, afirmou Caio Feitoza, do grupo Send Care. “Vocês fizeram a gente acreditar mais nas nossas potencialidades”, acrescentou Indaiá Gehlen, do grupo Embalagens Ativas. Diogo falou que o trabalho de AWC tem o intuito de dar um norte para ajudar os estudantes a se sentirem mais confiantes para empreender e destacou o orgulho que sente pelo empenho de todos.

awc_12_2017_0639

 

 

Notícias relacionadas:
– Grupos de AWC se preparam para a Feira de Investimentos
– Fusion e NanoTropic: aprendizados na Feira de Investimentos 2016
– Expectativas em alta para a Feira de Investimentos

29
maio

E-sporte pretende faturar R$ 500 mil até o final do ano

Um pequeno dispositivo para monitorar o desempenho de participantes em provas de corrida e caminhada trouxe grandes planos e metas ambiciosas de faturamento para João Macêdo e João Victor Romualdo. Eles criaram o equipamento E-xpert como trabalho de conclusão de curso (TCC) da graduação em Engenharia Elétrica na Universidade de Brasília (UnB) e o desenvolveram com apoio do programa Academic Working Capital em 2016. O produto hoje faz parte do portfólio da empresa E-sporte Soluções Esportivas, que nasceu na UnB e tem João Macêdo e a educadora física Fernanda Teles como sócios, João Victor como gerente de Projeto do E-xpert e mais cinco funcionários.

Ainda quando participava de AWC, a equipe conseguiu fechar contrato com um grande cliente para utilizar o E-xpert em avaliações de corrida em pista olímpica. “Passamos o ano de 2016 inteiro conversando com clientes, então já tínhamos algumas metas de contratação até o início do ano. E foi isso que aconteceu”, conta João Macêdo. Após finalizar a participação em AWC, a dupla realizou mais ajustes no dispositivo para que ele estivesse pronto para uso no mercado. A previsão é que, ao final do primeiro semestre, o primeiro cliente já esteja com o produto em operação.

Mas a meta da equipe vai além: até o final de 2018, a expectativa é que o E-xpert esteja sendo utilizado em todo o país, seja por um ou mais clientes. “Este cliente gostaria de ter exclusividade de uso do produto, então tem a possibilidade de ele ser o único cliente para aplicá-lo em todo o Brasil”, explica o sócio da E-sporte. Mesmo se esse cenário acontecer de fato, a equipe já estuda utilizar a tecnologia do E-xpert para outras finalidades, como para rastreamento de frotas e de pessoas e para acompanhamento de cargas. “Estamos nos preparando para encontrar novas aplicações e conseguir clientes dessas áreas.”

whatsapp-image-2017-03-22-at-17-54-04

Escritório da E-sporte Soluções Esportivas, localizado na Multincubadora da UnB.

A startup ainda conta com outros produtos em seu portfólio voltados a esporte e saúde e faz projetos sob demanda para clientes de diversos setores. “A gente fica no papel de indústria, que realiza a produção, e o cliente fica responsável pela comercialização. Para nós, isso é muito bom, estamos sempre criando coisas novas”, afirma João Macêdo. O próximo lançamento oficial da empresa é o E-lastic, voltado para clinicas de fisioterapia, reabilitação e pilates. O equipamento já começou a ser comercializado e consiste em um dispositivo portátil que é acoplado a elásticos para monitorar a intensidade dos movimentos e o desempenho do usuário.

Com diversos projetos e planos a todo vapor, a meta da E-sporte de alcançar um faturamento de R$ 500 mil até o final do ano já está próxima de ser atingida. “Queremos aumentar esse faturamento em quatro vezes para o próximo ano, chegando a R$ 2 milhões”, revela João Macêdo. O engenheiro compartilhou sua experiência como empreendedor no terceiro dia do Workshop Online I de AWC 2017. Ele explicou como o protótipo do E-xpert foi decisivo na conquista do primeiro cliente e aconselhou os estudantes a aproveitarem ao máximo o apoio oferecido por AWC. “As decisões que a gente toma no dia a dia são muito baseadas no que a gente aprendeu em AWC”, diz. Confira a palestra na íntegra no vídeo abaixo.

 

Notícias relacionadas:
2ª formação mostra ferramentas para entender o usuário
Periodiza: feedbacks positivos e planos para crescer
NanoTropic inicia em dois programas de aceleração

 

01
fev

AWC: bancada e tema de palestra na Campus Party Brasil

O programa Academic Working Capital participou da 9ª edição da Campus Party Brasil, uma das maiores maratonas internacionais de tecnologia, realizada entre os dias 26 e 31 de janeiro no Centro de Exposições Anhembi, em São Paulo (SP). Além de ter uma bancada fixa durante todo o evento, AWC foi tema de uma das palestras do palco Startups & Makers. No total, cerca de 120 mil pessoas visitaram os espaços destinados às palestras, workshops, painéis e atividades da Campus Party.

AWC levou ao evento 10 integrantes de quatro grupos que participaram em 2015: Tech Muda, Tech Talk, Loot Factory e Recicladora Portátil de Papel. A intenção era que os jovens compartilhassem com os campuseiros sua experiência no programa.

“A expectativa é que a gente consiga aumentar nossa divulgação para alguém de fora se interessar”, explicou Lucas Moraes Pinheiro, do Tech Talk. Ele e o colega Edson Nakada criaram um sistema que vocaliza tarefas mediante comandos por voz. A ideia inicial era vender a solução para pizzarias, mas agora eles estão mudando o foco para e-commerce. “Fizemos nossos primeiros contatos na fila”, contou Edson. “Estamos procurando alguém pra ser nosso cliente piloto.”

Os participantes de AWC 2015 também assistiram a palestras sobre empreendedorismo e startups e deram entrevistas à imprensa. “Pra gente fazer a divulgação está sendo muito bom”, afirmou Fernando Paes Lopes. Ele, Fernando Velloso e Henrique Martins criaram a Tech Muda, máquina que faz automaticamente a seleção de mudas de eucalipto e que foi vencedora do Prêmio Santander Universidades na categoria Empreendedorismo.

Palestra
AWC também foi tema de uma palestra dada pela representante do Instituto TIM Anna Carolina Meireles e pelo coordenador de conteúdo de AWC, Diogo Dutra, na noite do dia 27/01. Anna Carolina falou do Instituto e de algumas de suas iniciativas, especialmente AWC. “Se você não é universitário, você com certeza conhece alguém que é e que tem essa veia de empreendedorismo”, disse.

Na sequência, Diogo apresentou o programa. Ele comentou que o objetivo de AWC é levar para o mercado soluções que acabam engavetadas depois que os estudantes se formam. “É um momento da vida em que você está escolhendo a carreira e muitas vezes a opção do empreendedorismo não aparece. AWC mostra essa alternativa.” Diogo conversou sobre alguns dos projetos de 2015, como Tech Talk e Grape Truck, e falou da 2ª chamada de AWC 2016, que estará aberta entre 15/02 e 17/04.

Este slideshow necessita de JavaScript.