Instituto TIM

Tag: operação

09
out

Backstage do negócio é tema do último dia do Workshop Online II

O segundo dia do Workshop Online II de Academic Working Capital 2017, realizado em 7 de outubro, reuniu os 25 grupos para falar sobre o tema “Backstage, operação e estimativa dos custos”. O workshop contou com duas palestras, um painel de discussão e momentos de apresentação e atualização dos decks e planilhas entre os grupos. A abertura foi realizada pelo coordenador de conteúdo de AWC, Diogo Dutra, que ressaltou a importância de manter o foco no propósito de seu negócio para conseguir superar as dificuldades que surgem pelo caminho.

Confira como foi o primeiro dia do Workshop Online II de AWC 2017

As palestras e o painel foram mediados por Diogo e pelo coordenador acadêmico de AWC, Marcos Barretto. O investidor, empreendedor e profissional de vendas e marketing Bruno Neiva apresentou diferentes estratégias para definir o preço de um produto. De acordo com Bruno, analisar os preços estabelecidos pelos concorrentes é primordial, mas não se deve esquecer de olhar para os fatores que podem afetar a disposição do cliente a pagar por ele: benefícios, conveniência, poder do fornecedor, entre outros. “Conforme você vai aumentando seu mercado, entendendo melhor seu consumidor, seu preço pode e deve mudar”, afirmou.

palestra-bruno-neiva

No início da tarde, foi realizado um painel de discussão sobre o backstage dos negócios, com Karina Piva, head de Operações da empresa de recrutamento Contratado; e João Macêdo, sócio da startup E-sporte e participante de AWC 2016. Ambos compartilharam processos fundamentais para a operação de seus negócios, como fabricação do produto, escolha de fornecedores e seleção da equipe. João ressaltou que os objetivos e a motivação devem ser passados para todos os colaboradores, inclusive no momento da entrevista. “Isso influencia definitivamente no processo de contratação, porque as pessoas se sentem parte da empresa e compram o sonho do negócio com você.” Outro ponto destacado foi a necessidade de criar e gerenciar processos. “Não necessariamente vou criar uma burocracia, mas vou garantir que escrevi tudo aquilo que fiz e deu certo para outra pessoa poder consultar ou para pessoas novas saberem que já foi documentado”, disse Karina.

painel-joao-e-karina

Guilherme Parente, um dos criadores do aplicativo Apptite, contou para os grupos a trajetória de seu negócio: uma plataforma para fazer pedidos de refeições caseiras a cozinheiros e chefs cadastrados. Guilherme e seu sócio começaram com um MVP simples, utilizando o Facebook, para realizar testes com clientes e fechar as primeiras vendas. Quando viram que havia demanda e oferta, gastaram o próprio dinheiro para fazer o primeiro protótipo. “Sou um entusiasta do bootstrap. Acho que você tem que começar o negócio sozinho, tentando encontrar uma oportunidade, começando a vender de uma forma ou de outra. Aí depois você vai pedir dinheiro.” Agora, com um ano de operação, a empresa está buscando investimentos.

Diogo encerrou o dia e explicou o que é esperado dos grupos até a Feira de Investimentos (13 de dezembro): um modelo de negócios, testes e dados consolidados, estratégias de operação e monetização, um plano para os próximos seis meses e pelo menos um cliente pagante.

 

 

Notícias relacionadas:
Cursos online e gratuitos para se atualizar sobre empreendedorismo
Experimentos e protótipos são processos-chave para aprimorar solução
Os desafios e as vantagens de empreender na universidade

19
jul

Vendas e operação são temas do 2º dia do Workshop II de AWC 2017

No segundo dia do Workshop II de Academic Working Capital 2017 os cerca de 70 estudantes dos 28 grupos participantes aprenderam sobre o sistema de compras do programa, assistiram a palestras sobre vendas e operação e continuaram trabalhando no aprimoramento de suas soluções. As atividades do dia 18 de julho foram focadas no refinamento dos produtos em sessões de Design Sprint com os colegas e no amadurecimento da visão comercial e de negócio. O Workshop II acontece nas salas e no auditório do prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo-SP.

Confira como foi o primeiro dia do Workshop II de AWC 2017

Durante a manhã, os grupos se reuniram nos clusters e participaram de uma flipped classroom (sala de aula invertida) sobre o teste de experimentos. Eles também fizeram o “exercício dos chapéus”, no qual definiram as funções de cada membro do grupo, observando os pontos críticos do produto e do negócio. O objetivo das atividades era o aprimoramento do Deck 2 – Testando a Solução.

A primeira palestra do dia foi do sócio da consultoria CAOS Focado Miguel Chaves, que falou sobre o sistema financeiro de AWC. Ele mostrou aos estudantes como funciona o processo de envio do orçamento e a aprovação do pedido de compras – por meio dele, os grupos compram os materiais necessários para a montagem do protótipo. Miguel convidou grupos deste ano que já compraram seus materiais para compartilhar com os colegas como foi. “Essa é a oportunidade de você mostrar se realmente aprendeu os conceitos do programa”, disse Havilah Vasconcelos Ramos, do grupo Horus.

O coordenador de conteúdo de AWC, Diogo Dutra, falou aos grupos que este workshop é extremamente focado no produto, mas que os estudantes também precisam começar a desenvolver seu “olhar para negócios”. Afinal, há grupos que já fecharam a primeira venda sem um produto finalizado, como é o caso de A Hole Map. Para Diogo, os grupos precisarão dividir tarefas e ter um olhar crítico para o negócio e, se precisar, até chamar mais membros.

O tema continuou na palestra do primeiro convidado externo deste workshop, Guilherme Ruggiero, head comercial da startup Colaboradores. O foco da palestra foi vendas: como sair de zero clientes para 1 cliente, e de 1 cliente para 10 clientes. “Vocês são os vendedores. São os empreendedores, mas também são os vendedores por um bom tempo”, afirmou. “Empreendedor tem que estar vendendo o tempo todo”. Guilherme falou sobre o que os estudantes podem fazer para conquistar os primeiros clientes, sugeriu boas práticas e ferramentas, explorou conceitos e salientou que, no final do dia, o que faz um bom vendedor são disciplina e organização.

A palestra do cofundador e head de Tecnologia e Produto da Infoprice, Marcos Roggero, focou em operação. Marcos falou sobre a Infoprice, contou como foi o começo da startup, os problemas que tiveram e histórias de sucesso e fracasso. “A operação no dia 1 é ‘vai lá, faz e aprende’, não é ‘vai lá, faz e esquece’, ‘vai lá, faz e se agarra na hipótese que você achou que era verdade e que é mentira’.” Marcos contou que, no início, é difícil vender a mesma coisa para o mesmo cliente, especialmente no segmento B2B. Também explicou que não adianta querer fazer inovação com uma estrutura completamente burocrática. Os estudantes fizeram perguntas ao final da palestra, especialmente sobre patente.

Depois das palestras, os grupos voltaram às salas para continuar trabalhando no deck e na apresentação que farão amanhã, no terceiro e último dia do Workshop II, na Feira Intermediária.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Notícias relacionadas:
– Cerca de 70 alunos participam do Workshop II de AWC 2017
– Papel do monitor fecha formação de AWC com Etecs e Fatecs
– Conselho Consultivo se reúne para discutir estratégias para AWC