Instituto TIM

Tag: Modelo de Negócio

19
jul

AWC: Workshop II reúne 60 estudantes

Começou em São Paulo (SP), na manhã de 18 de julho, o Workshop II do programa Academic Working Capital em 2016. Cerca de 60 estudantes, dos 26 grupos que participam neste ano, estiveram reunidos para ouvir palestras, participar de dinâmicas e discutir seus modelos de negócio. O Workshop II acontece até 20 de julho no auditório e nas salas do prédio da Engenharia Elétrica na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP).

Acompanhe a cobertura do Workshop II pelo Twitter

A programação começou com as boas-vindas do professor da USP Marcos Barretto, coordenador acadêmico de AWC. Depois, o engenheiro mecatrônico Diogo Dutra, coordenador de conteúdo de AWC, recapitulou a estrutura do programa, lembrando que o tema do Workshop I foi a obsessão pelo usuário e a necessidade de realizar experimentos reais. Citando o empreendedor norte-americano Steve Blank e o criador do jogo Pokemon GO, John Hanke, Diogo mostrou que, a partir de agora, os estudantes sairão de um modelo de solução para um modelo de negócio com o objetivo de estimar seu lucro.

No painel “De produto para negócio”, Diogo explicou rapidamente a ferramenta Business Model Canvas. “No final vocês vão olhar receita e custo e pensar: isso dá negócio ou não dá?” Ele contou a história da startup norte-americana Pair Eyewear, que produz óculos customizáveis para crianças. Depois de ir a campo e fazer pesquisas e entrevistas, os empreendedores da Pair Eyewear mudaram totalmente seu modelo de negócio. “Precisa manter esse olhar curioso, esse olhar que não aceita simplesmente a primeira entrevista, que faz testes rigorosos”, salientou.

Após as palestras iniciais, os grupos foram para as salas e trabalharam em seus modelos de negócio; depois, foram divididos em novos clusters, conforme proximidades de tecnologia ou mercado. Esta é a primeira vez que todos os grupos de 2016 se encontram pessoalmente, já que o Workshop I foi realizado online para os grupos da 2ª chamada.

Mais tarde, todos voltaram ao auditório e assistiram à palestra de Rogério Nogueira, CEO da Weka e sócio das startups Colaboradores e Captr. Rogério falou sobre estratégias de marketing e vendas e formas de adquirir e converter clientes. “Como eu vou atrair e qual vai ser a conversão real para essas pessoas? Isso vai estar no plano de negócios. E é importante testar esse plano de negócios”, afirmou. “Vender é algo que se aprende.” Rogério falou das competências que ele considera necessárias para ser um bom vendedor, como disciplina, habilidade de se comunicar, criatividade e capacidade investigativa. No final, os estudantes fizeram perguntas e o empreendedor deu dicas de livros e ferramentas.

O segundo painel do dia foi sobre mercados e modelos de receita. O coordenador de monitores de AWC, Artur Vilas Boas, que também é membro do Núcleo de Empreendedorismo da USP, mostrou exemplos de empresas com possibilidades de receitas diferentes do modelo de venda simples (aluguel ou venda com manutenção, licenciamento/franquias, freemium etc.). “Calcular o tamanho da oportunidade é precificação vezes dimensionamento”, explicou. Artur repassou alguns pontos de atenção para os estudantes refletirem. De volta às salas, os grupos se reuniram para pensar na estratégia de seus modelos de receita.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

19
nov

Seletora de mudas vence Prêmio Santander Universidades na categoria empreendedorismo

Uma das equipes de AWC ganhou um reforço importante para o desenvolvimento de sua empresa. Na tarde de quinta-feira, 19 de novembro, aconteceu em São Paulo o anúncio dos vencedores dos Prêmios Santander Universidades, e o projeto da Seletora de Mudas de Eucalipto foi um dos cinco campeões na categoria Empreendedorismo.

O projeto garantiu o prêmio de R$ 100 mil para a implementação da ideia, uma bolsa de estudos na Babson College, em Boston, nos EUA, e mentoria da Endeavor, organização referência em empreendedorismo.

Fernando Antônio Torres Velloso da Silva Neto, aluno da Poli-USP e coordenador do projeto, estava presente no evento e subiu no palco da premiação junto com seu professor orientador André Leme Fleury. Também fazem parte da equipe Fernando Paes Lopes (USP), Henrique Oliveira Martins (USP) e Marina de Freitas Mendonça (FGV).

Veja a relação completa dos vencedores.  

A edição de 2015 do Prêmio Santander Universidades recebeu mais de 23 mil inscrições de universitários de graduação e pós-graduação, pesquisadores e acadêmicos em geral. Destes, 55 chegaram à final.

Assista ao evento completo da cerimônia de premiação pelo Periscope.

03
nov

AWC 2016: assista à gravação do hangout e tire suas dúvidas sobre as inscrições

O programa Academic Working Capital 2016 está com as inscrições abertas até o dia 23 de novembro. Alunos de graduação das áreas de Engenharia e Ciências Exatas, que estarão matriculados na etapa de execução do Trabalho de Conclusão de Curso em 2016 podem se inscrever.

Para tirar dúvidas sobre a submissão de propostas, o professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) e coordenador acadêmico do programa, Marcos Barretto, participou de um hangout junto com Diogo Dutra, engenheiro mecatrônico e coordenador de conteúdo do programa. Os dois comentaram sobre o formato e a avaliação da inscrição, a importância do vídeo que é preciso enviar junto com a proposta e como deve ser formada a equipe.

“Vamos avaliar três itens principais nas propostas recebidas. Primeiro, qual é o projeto de negócio proposto. Claro que não é para decidir tudo nesse primeiro momento, porque durante o programa vamos conversar mais profundamente sobre ele, mas já precisamos entender qual a solução que esse negócio trará. Depois, analisaremos o tipo de tecnologia que será utilizada, que deve ser profunda e diferente. E por último, os integrantes da equipe que está por trás dessa proposta”, comenta Diogo.

AWC 2016: Inscreva-se aqui

Junto com a inscrição é preciso anexar um vídeo de até três minutos sobre o projeto e a equipe. “Não deixe para enviar sua proposta nos últimos dias, aproveite para gravar o vídeo com calma”, recomenda o professor Marcos Barretto.

“O vídeo precisa mostrar como você se expressa. Nós vamos levar em conta como a equipe encara o empreendedorismo e o assunto do projeto proposto. É ali que a gente quer encontrar uma expressão sobre a vontade de fazer o negócio. Então, foque em coisas que não dá para gente ver na proposta escrita, como seu entusiasmo pelo assunto”, diz Diogo.

Em 2016, poderão se inscrever equipes de universidades do Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Distrito Federal, além de São Paulo e do Rio de Janeiro. A única exigência é que a instituição de ensino tenha nota mínima 4 no índice Geral de Cursos (IGC) do Ministério da Educação. Outra mudança neste ano é que somente um dos integrantes do grupo precisará estar matriculado na etapa de execução do TCC nas áreas de Engenharias e Ciências Exatas (no ano passado eram dois).

14
jul

Workshop I de AWC em 2015 começa em São Paulo

O primeiro dia do Workshop I de 2015 do programa Academic Working Capital foi repleto de discussões sobre negócios tecnológicos e design. Os autores das 12 propostas selecionadas em 2015 assistiram a palestras, mostraram seus projetos aos colegas, ouviram críticas e comentários e fizeram análises. O tema do 1º workshop, que acontece de 13 a 16 de julho no auditório e em salas de aula do prédio da Engenharia Mecânica e Naval da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), é “Design detalhado e construção”.

Durante a abertura do workshop, realizada na manhã do dia 13, o especialista em Inovação Diogo Dutra explicou que empreender não é uma caminhada fácil e comparou esse processo à jornada do herói. “O que nós esperamos é que vocês saiam daqui com um design consistente, uma lista de materiais coerente e um modelo de negócio minimamente pensado”, afirmou.

A representante do Instituto TIM Anna Carolina Meireles contou que a ideia de Academic Working Capital tem origem em um projeto semelhante realizado na Itália que apoia startups. “O empreendedorismo tecnológico é peça-chave se a gente quer investir em desenvolvimento humano”, ressaltou ela. Anna Carolina lembrou do aniversário de 2 anos do Instituto TIM, comemorado em julho. “O Instituto é muito novo. Uma fundação demora muito tempo para mostrar resultados e a gente já tem resultados sólidos”, completou.

Durante o resto do dia, os estudantes assistiram a uma palestra do professor Marcos Barretto sobre Engeneering Design e a outra, dada por Diogo, sobre Modelo de Negócio. Eles também participaram de uma Feira de Apresentação, na qual mostraram seus projetos aos colegas e ouviram feedbacks. Divididos em clusters de acordo com a aplicação de cada projeto e orientados pelos monitores, os estudantes discutiram os concorrentes e criaram árvores de problemas.

O segundo dia do workshop será dedicado à experiência do usuário e o terceiro, a Engeneering Thinking. No quarto e último dia, eles apresentarão novamente seus projetos, já incorporando os feedbacks e orientações recebidas durante os dias anteriores.

Este slideshow necessita de JavaScript.