Instituto TIM

Tag: estudantes

09
maio

Experimento de valor e mapa de contatos no Workshop Online I

O segundo dia do Workshop Online I de Academic Working Capital 2017, realizado em 6 de maio, foi de muito trabalho e aprendizado para os estudantes. Os 35 grupos da terceira edição do programa, divididos em duas turmas, participaram do workshop diretamente de suas cidades, por meio de plataformas online como Google Hangouts, Google Drive e Slack. A equipe de AWC se reuniu em São Paulo (SP) para conduzir as atividades e interagir com os grupos de universitários e alunos de Etecs ao vivo.

O foco das atividades da turma 1, formada pelos grupos da 1ª chamada (que iniciaram em janeiro), foi a análise dos dados coletados nas entrevistas para definir uma proposta de valor para seus negócios. A realização de entrevistas com potenciais clientes e usuários continua, mas de maneira qualificada, conforme os grupos estabelecem seu mercado de atuação. A equipe de AWC apresentou boas práticas para fazer as entrevistas e orientou os estudantes a desenvolver um primeiro experimento de valor do produto a partir das conclusões tiradas com as entrevistas. Para a próxima semana, os grupos precisam tentar conseguir um early adopter, ou seja, uma pessoa que aceite testar e avaliar este experimento.

Na turma 2, com grupos da 2ª chamada, o dia foi dedicado ao mapeamento de contatos para as entrevistas. A equipe de AWC mostrou como elaborar um mapa de contatos, pesquisar informações sobre possíveis usuários e clientes e realizar as entrevistas, ressaltando que esses primeiros contatos podem se tornar estratégicos para o negócio em longo prazo. Também foi esclarecida a diferença entre cliente (quem compra) e usuário (quem utiliza) e suas percepções de valor, que precisam ser atendidas pelo produto. Os grupos discutiram o comportamento do usuário para atualizar e apresentar o deck de entrevistas com as personas e a jornada do usuário – que serão validadas por meio de mais entrevistas nesta semana.

O último dia do Workshop Online I acontece em 13 de maio. Confira como foi o primeiro dia.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Últimas notícias:
Conheça os selecionados da 2ª chamada de AWC 2017
AWC realiza 1ª formação para professores de Etecs e Fatecs
NanoTropic inicia em dois programas de aceleração

 

04
maio

Workshop Online I de AWC 2017 começa com novidades

Os 36 grupos participantes de Academic Working Capital 2017 participaram do primeiro dia do Workshop Online I, realizado em 29 de abril. Por meio de plataformas online como Google Hangouts, Google Drive e Slack, os estudantes interagiram, fizeram apresentações e assistiram a palestras diretamente de suas cidades. Ao contrário da edição de 2016, em que o Workshop Online era voltado apenas para os selecionados na 2ª chamada, nesta edição todos os grupos foram convidados a participar, divididos em duas turmas.

A turma 1 foi composta pelos cinco grupos da 1ª chamada, que estão em um momento decisivo do programa: manter seu modelo de negócio ou pivotar. O conteúdo dos três dias de workshop aprofunda essa questão e ajudará os estudantes a tomar uma decisão, que será apresentada à equipe de AWC no último dia do evento (13 de maio). As equipes que decidirem manter o modelo seguirão para o desenvolvimento do protótipo; as que decidirem pivotar retomarão o percurso iniciado em janeiro para pensar em uma nova possibilidade de negócio. No primeiro dia, os grupos foram orientados a pensar em estimativas de tamanho de mercado e preço do produto ou serviço e assistiram a uma palestra sobre a importância de pivotar cedo, conduzida pelo sócio-fundador da startup Lean Survey Fernando Salaroli.

A programação da turma 2, formada pelos 31 grupos da 2ª chamada, foi aberta pelos coordenadores de AWC, o professor da Universidade de São Paulo (USP) Marcos Barretto e o engenheiro mecatrônico Diogo Dutra. Os grupos conheceram conceitos de empreendedorismo científico e ferramentas utilizadas para a validação do negócio, como deck de slides, deck de entrevistas, Value Proposition Canvas (VPC), Matriz CSD, entre outras. As atividades do dia foram focadas em pensar no usuário e no valor que o produto irá agregar a ele. Os estudantes já fizeram as primeiras entrevistas e começaram a responder as principais questões do VPC. Até o próximo encontro, no dia 6 de abril, os grupos deverão subir no Drive o deck de entrevistas e o primeiro template do deck de slides, relacionado ao teste do problema.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Últimas notícias:
Conheça os selecionados da 2ª chamada de AWC 2017
– Periodiza: feedbacks positivos e planos para crescer
– AWC realiza 1ª formação para professores de Etecs e Fatecs

 

17
fev

AWC amplia público para alunos de Etecs

O programa Academic Working Capital terá uma grande novidade neste ano: estudantes de oito Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) poderão se inscrever na 2ª chamada para participar do programa. Além disso, a equipe de AWC oferecerá uma formação sobre empreendedorismo científico e inovação a professores das oito Etecs e de duas Faculdades de Tecnologia (Fatecs). Cerca de 30 diretores e professores das instituições se reuniram em 17 de fevereiro na Administração Central do Centro Paula Souza – parceiro do Instituto TIM nesta iniciativa –, em São Paulo (SP), para conhecer AWC e o trabalho que será realizado.

O professor G. Monteiro, coordenador de Projetos do Departamento de Gestão e Negócios do Centro Paula Souza, abriu o evento falando de competências empreendedoras que podem ser um diferencial para manter o aluno no mercado de trabalho. Segundo o professor, a parceria com AWC vem de encontro a uma mudança de metodologia de ensino e aprendizagem pela qual as Etecs estão passando. Competências empreendedoras como planejamento, iniciativa, criatividade, trabalho em equipe, entre outras, passarão a estar presentes no currículo das Etecs para preparar os estudantes para as exigências da vida profissional.

“Esse projeto vem complementar a nossa política de formação do aluno para o mercado de trabalho, aproximando o aluno do mercado de trabalho com novas metodologias de ensino e colaborando, também, com a formação do professor”, afirmou. O professor comentou que o apoio financeiro oferecido por AWC será essencial para que os estudantes possam aprimorar os projetos que já realizam durante os semestres. “Com esse investimento que os alunos vão ter, eles podem desenvolver um projeto que atende às demandas do mercado”, disse.

Os coordenadores de AWC Marcos Barretto, professor da Universidade de São Paulo (USP), e Diogo Dutra, engenheiro mecatrônico, apresentaram o Instituto TIM e o programa e explicaram como será desenvolvido o trabalho com professores e alunos das Etecs e Fatecs. No primeiro semestre, os professores participantes formarão grupos para criar um produto de base tecnológica e preparar um projeto de acordo com as exigências do Edital de Chamamento. “Nós estamos propondo que os grupos de professores experimentem o processo, vivam o processo. É um convite para vocês entrarem de cabeça e se comportarem como os alunos”, disse Marcos.

Entre abril e julho, os professores participarão de quatro encontros de formação e também dos workshops online e presencial de AWC. Além de ampliar o conhecimento dos professores em empreendedorismo e modelagem de negócios, o objetivo é contribuir para que eles se tornem mentores dos estudantes no desenvolvimento de produtos de base tecnológica. Por isso, no segundo semestre, eles serão convidados a acompanhar as mentorias, workshops e a Feira de Investimentos de AWC. “A mentoria não se trata de dar respostas, trata-se de fazer perguntas. Reposicionar nossa cabeça para sair do papel de professor e entrar no papel de mentor é parte do que vamos trabalhar com vocês nessa etapa”, explicou Marcos.

Já os alunos do Ensino Médio Técnico das Etecs passarão pelo mesmo processo de trabalho que os grupos de universitários (incluindo estudantes de Fatecs) já realizam em AWC. 10 grupos das Etecs participantes serão selecionados na 2ª chamada do programa, que estará aberta entre 1º de março e 13 de abril. No final do evento, os diretores e professores tiraram dúvidas e conversaram com a equipe de AWC.

Este slideshow necessita de JavaScript.

25
nov

Inscrições para participar de AWC 2017 estão abertas

As inscrições para a edição de 2017 do programa Academic Working Capital estão abertas. Podem se inscrever grupos de estudantes de qualquer curso de graduação – desde que o coordenador do grupo esteja, obrigatoriamente, matriculado na etapa de execução do TCC (Trabalho de Conclusão de Curso) em cursos de Engenharia ou da área de Computação. Serão aceitos projetos de TCC que visem a criação de novas empresas de base tecnológica. O programa oferece apoio financeiro, técnico e de negócios aos projetos selecionados durante um ano.

É necessário fazer uma pré-inscrição no site de AWC para receber por e-mail as instruções, modelo de proposta e documentos necessários para a inscrição, que poderá ser feita até 19 de dezembro. A divulgação dos grupos selecionados será realizada em 23 de dezembro no site do programa. Nesta edição, estudantes do Rio Grande do Sul também poderão participar, além de universitários do Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo.

Em 2017, os grupos participarão de três workshops presenciais, dois workshops online e uma Feira de Investimentos. Os participantes de AWC 2016 já estão finalizando os protótipos funcionais de seus produtos para apresentá-los na Feira de Investimentos, em 14 de dezembro. Nos dias 12 e 13 de dezembro haverá o terceiro workshop presencial do ano, dedicado à preparação dos grupos para a Feira.

Confira o Edital de Chamamento de AWC 2017 neste link.

 

21
jul

Palestras encerram o Workshop II

O último dia do Workshop II de Academic Working Capital, em 20 de julho, levantou discussões sobre planejamento financeiro. A programação começou no auditório do prédio de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) com uma palestra sobre precificação. O administrador e matemático Daniel Barzilay explicou que o processo de precificação em uma startup é diferente das grandes empresas, já que estas contam com uma ampla base de dados sobre o comportamento do consumidor. “Na startup você não tem esse luxo, é muito mais sensível e qualitativo”, disse. Daniel apontou estratégias e táticas que as startups podem adotar para precificar seus produtos e ressaltou a necessidade de pensar nos concorrentes ao definir suas ações.

Veja como foi o primeiro e o segundo dia de atividades

Miguel Chaves, sócio da consultoria em inovação e design CAOS Focado, falou sobre fluxo financeiro e o planejamento básico que toda empresa deve ter. Ele mostrou diversas planilhas e gráficos para dar um exemplo de como realizar o controle do fluxo de caixa em quatro etapas, até chegar em um relatório financeiro. “Quando a gente entende o fluxo de caixa, consegue planejar o futuro e crescer de forma estável e organizada”, comentou. Esse processo ajuda a compreender a dinâmica da empresa e impacta todas as áreas, não se restringindo ao setor financeiro. “A tomada de decisões na empresa fica mais inteligente”, afirmou Miguel.

As métricas utilizadas para acompanhar o desempenho de uma empresa foram apresentadas pelo fundador das startups Tegris e FieldLink, Rafael Gonçalves. Em sua palestra, Rafael falou sobre alguns modelos de captação de recursos e como mensurar a tração da empresa. “Tração é a capacidade de atrair novos usuários para seu produto, de preferência usuários pagantes”, explicou. Os estudantes conheceram o significado e as relações entre termos como custo de aquisição de cliente (CAC), lifetime value (LTV) e receita recorrente mensal (MRR). “A estratégia é como vou deixar meu negócio irresistível, é mostrar que eu cresço a números que meus investidores nem pensam em sonhar”, concluiu.

A palestra seguinte teve como tema captação de recursos e foi dada por Alessandro Andrade, cofundador da startup Lean Survey. Foi abordada a diferença entre fundos de venture capital e investidores-anjo e os cuidados que devem ser tomados ao buscar e receber um investimento. “Saber quem é o seu investidor e o que ele traz para a sua empresa vale mais que o dinheiro que ele está colocando”, afirmou. Um dos pontos de atenção destacados foi com os tipos e as cláusulas do contrato firmado com o investidor. Alessandro reforçou a importância de não deixar cláusulas em aberto e de trabalhar para que sejam bem definidas e cumpridas.

O sócio-fundador da Radix Flávio Waltz encerrou as palestras com uma apresentação da história e do trabalho realizado pela empresa, que oferece soluções nas áreas de software, automação industrial e engenharia. Flávio contou como a Radix enfrentou momentos de crise e uma grande batalha judicial e se firmou como referência no setor, ampliando os segmentos atendidos e abrindo escritórios no Brasil e no exterior. Ele também comentou sobre a valorização de universitários na empresa, que tem parceria com várias universidades e patrocina equipes acadêmicas. “A gente trata as universidades como nossa categoria de base.”

Os grupos de AWC finalizaram os documentos criados durante o Workshop e começaram a pensar em questões de precificação. O coordenador de conteúdo do programa, Diogo Dutra, terminou o dia com informações sobre o trabalho que será realizado no segundo semestre e abriu espaço para os estudantes compartilharem suas impressões sobre os três dias de atividades e sugestões para o próximo Workshop, que será realizado em dezembro.

Este slideshow necessita de JavaScript.