Instituto TIM

Tag: Academic Working Capital

28
out

AWC participa de painel no 3º Simpósio de Educação Empreendedora

O programa Academic Working Capital foi convidado para participar do 3º Simpósio de Educação Empreendedora, realizado em 27 de outubro pela Escola de Negócios Sebrae-SP Alencar Burti. O professor da USP Marcos Barretto, coordenador acadêmico do programa, fez parte do terceiro painel do evento, que teve como tema “Ecossistema empreendedor – Contribuição das empresas para a educação empreendedora”. O painel também foi composto por Renan Prado, da área de Atração e Seleção do setor de Recursos Humanos da Natura, e mediado por José Marques, consultor da Escola de Negócios do Sebrae-SP.

Marcos falou um pouco de sua experiência como empreendedor e apresentou o programa AWC. Ele comentou sobre reflexões que estão acontecendo no âmbito universitário sobre mudanças nas estruturas curriculares e como isso tem levado a ações de incentivo ao empreendedorismo, como aconteceu com AWC. “Nos cursos tradicionais, onde os currículos estão estruturados, a gente fala muito de análise e pouco de síntese. Isso significa que a gente pensa sobre o que acontece, mas não cria em cima, não sintetiza coisas novas”, afirmou.

O próprio trabalho de conclusão de curso (TCC) não é aproveitado pelos alunos para além da vida acadêmica, segundo o professor. Por isso, a ideia de AWC é oferecer uma experiência diferente para que o estudante possa transformar seu TCC em algo útil, sair dos projetos e fazer, de fato, um produto. Marcos explicou que o ano final da graduação é uma fase decisiva e cheia de incertezas para o aluno, portanto é necessário mostrar que ele pode acreditar em si mesmo e que seu projeto é possível de ser realizado. “Compreender esse momento do jovem é um dos diferenciais do nosso programa.”

Ao ser questionado sobre o que mais o atraiu para trabalhar no programa junto ao Instituto TIM, o professor disse que foi o fato do Instituto TIM entender que AWC é uma iniciativa que se constrói aos poucos, e que não gera resultados de um dia para o outro. Ele destacou ainda a abertura que tem para discutir com a equipe sobre questões relacionadas a como formar melhor os alunos para a vida profissional.

Para Marcos, a participação no simpósio é uma forma de inspirar as instituições de ensino a realizar iniciativas de educação empreendedora. “Ter esse reconhecimento é muito importante porque ajuda as pessoas a entender a mensagem e a proposta do programa e a necessidade que existe da universidade se transformar e educar seus alunos para o empreendedorismo.”

Este slideshow necessita de JavaScript.

31
ago

Equipe e grupos de AWC participam do evento SP Conecta

Em 30 de agosto, o programa Academic Working Capital participou da primeira edição do SP Conecta, evento realizado pela Investe São Paulo (Agência Paulista de Promoção de Investimentos e Competitividade) com o intuito de aproximar startups e agentes do ecossistema de empreendedorismo, como aceleradoras, incubadoras, financiadoras, associações e empresas. Cerca de 700 pessoas estiveram na sede da Investe São Paulo para o evento, incluindo membros da equipe e grupos de AWC.

A equipe do programa contou com um espaço para apresentar a iniciativa e tirar dúvidas. Ao mesmo tempo, dois grupos que fizeram parte da edição de 2015 e três grupos da edição atual foram convidados a compartilhar suas experiências no estande e a aproveitar o evento para fazer contato com os mais de 40 players do setor que estavam presentes. “É um prazer enorme estar aqui e mostrar a nossa iniciativa não só para os estudantes, mas também para os nossos pares”, disse o coordenador de conteúdo de AWC, Diogo Dutra. “Estar com esses pares nos traz notoriedade no mundo do empreendedorismo.”

Os grupos de 2015 convidados para o evento já estão tocando suas startups. A equipe da Mvisia começou com o projeto de uma seletora de mudas de eucalipto. Neste ano, os integrantes se juntaram a outra startup e passaram a desenvolver máquinas voltadas à seleção de diferentes produtos, como mudas de flores e tomates. “Foi muito interessante [o convite para o evento], primeiro pelo reconhecimento do pessoal de AWC de, mesmo que a gente seja da edição passada, continuar o contato”, contou o engenheiro mecatrônico Fernando Lopes.

Já o grupo Tech Talk criou uma plataforma para empresas que facilita agendamentos e atendimentos ao cliente, e que vai começar a ser implementada em alguns clientes como piloto. “Uma das perguntas que muitas empresas incubadoras fazem é se nós vamos conseguir entregar o que estamos prometendo. Então agora é a hora da gente mostrar que sim, que a gente vai conseguir entregar e que vai dar tudo certo”, afirmou Edson Nakada, que junto à sua equipe buscou possíveis parceiros para o projeto durante o evento.

Os irmãos Gabriel e Lays Costa Faria estão entre os estudantes da edição de 2016. Eles já estão terminando o protótipo de uma impressora de metais em 3D que imprime joias em prata e ouro. “A gente ficou muito feliz em ser convidado, sabendo que o que estamos fazendo está dando certo e que estão vendo resultados. Dá um ânimo ainda maior para continuarmos nos empenhando cada vez mais”, disse Lays. A dupla Willian Beneducci e Henrique dos Santos se focou nas palestras do evento e em buscar incubadoras e locais físicos para desenvolver a startup Staat, que está produzindo um espectrofotômetro para realizar análises na área de odontologia. “Falei com algumas empresas, mostrei nossas ideias, colhi feedbacks e foi bastante proveitoso”, contou Henrique.

O grupo Periodiza conversou com financiadoras, aceleradoras e empresas de hardware sobre seu projeto: um aplicativo de periodização de treinos voltados para personal trainers e profissionais de academias. “Estamos conhecendo melhor quem são essas pessoas, o que elas precisam, os requisitos para as startups que entram em seus programas”, relatou Pedro Vitor Sanches. Para a equipe de AWC, o evento também proporcionou contatos que podem gerar novas oportunidades para o programa. “A gente conversou com alguns investidores-anjo que queriam entender como era o processo, o que já está gerando uma série de contatos posteriores que podem, eventualmente, fortalecer o programa e trazer mais resultados”, acrescentou Diogo Dutra. “O feedback está sendo muito positivo.”

Este slideshow necessita de JavaScript.

21
jul

Palestras encerram o Workshop II

O último dia do Workshop II de Academic Working Capital, em 20 de julho, levantou discussões sobre planejamento financeiro. A programação começou no auditório do prédio de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) com uma palestra sobre precificação. O administrador e matemático Daniel Barzilay explicou que o processo de precificação em uma startup é diferente das grandes empresas, já que estas contam com uma ampla base de dados sobre o comportamento do consumidor. “Na startup você não tem esse luxo, é muito mais sensível e qualitativo”, disse. Daniel apontou estratégias e táticas que as startups podem adotar para precificar seus produtos e ressaltou a necessidade de pensar nos concorrentes ao definir suas ações.

Veja como foi o primeiro e o segundo dia de atividades

Miguel Chaves, sócio da consultoria em inovação e design CAOS Focado, falou sobre fluxo financeiro e o planejamento básico que toda empresa deve ter. Ele mostrou diversas planilhas e gráficos para dar um exemplo de como realizar o controle do fluxo de caixa em quatro etapas, até chegar em um relatório financeiro. “Quando a gente entende o fluxo de caixa, consegue planejar o futuro e crescer de forma estável e organizada”, comentou. Esse processo ajuda a compreender a dinâmica da empresa e impacta todas as áreas, não se restringindo ao setor financeiro. “A tomada de decisões na empresa fica mais inteligente”, afirmou Miguel.

As métricas utilizadas para acompanhar o desempenho de uma empresa foram apresentadas pelo fundador das startups Tegris e FieldLink, Rafael Gonçalves. Em sua palestra, Rafael falou sobre alguns modelos de captação de recursos e como mensurar a tração da empresa. “Tração é a capacidade de atrair novos usuários para seu produto, de preferência usuários pagantes”, explicou. Os estudantes conheceram o significado e as relações entre termos como custo de aquisição de cliente (CAC), lifetime value (LTV) e receita recorrente mensal (MRR). “A estratégia é como vou deixar meu negócio irresistível, é mostrar que eu cresço a números que meus investidores nem pensam em sonhar”, concluiu.

A palestra seguinte teve como tema captação de recursos e foi dada por Alessandro Andrade, cofundador da startup Lean Survey. Foi abordada a diferença entre fundos de venture capital e investidores-anjo e os cuidados que devem ser tomados ao buscar e receber um investimento. “Saber quem é o seu investidor e o que ele traz para a sua empresa vale mais que o dinheiro que ele está colocando”, afirmou. Um dos pontos de atenção destacados foi com os tipos e as cláusulas do contrato firmado com o investidor. Alessandro reforçou a importância de não deixar cláusulas em aberto e de trabalhar para que sejam bem definidas e cumpridas.

O sócio-fundador da Radix Flávio Waltz encerrou as palestras com uma apresentação da história e do trabalho realizado pela empresa, que oferece soluções nas áreas de software, automação industrial e engenharia. Flávio contou como a Radix enfrentou momentos de crise e uma grande batalha judicial e se firmou como referência no setor, ampliando os segmentos atendidos e abrindo escritórios no Brasil e no exterior. Ele também comentou sobre a valorização de universitários na empresa, que tem parceria com várias universidades e patrocina equipes acadêmicas. “A gente trata as universidades como nossa categoria de base.”

Os grupos de AWC finalizaram os documentos criados durante o Workshop e começaram a pensar em questões de precificação. O coordenador de conteúdo do programa, Diogo Dutra, terminou o dia com informações sobre o trabalho que será realizado no segundo semestre e abriu espaço para os estudantes compartilharem suas impressões sobre os três dias de atividades e sugestões para o próximo Workshop, que será realizado em dezembro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

13
jun

AWC é apresentado como caso de sucesso em conferência na Grécia

O coordenador de conteúdo do programa Academic Working Capital, Diogo Dutra, apresentou AWC em um dos painéis realizados na 2ª Conferência Internacional Anual de Educação e Ensino de Engenharia, que aconteceu entre 5 e 8 de junho em Atenas, na Grécia. O evento foi promovido pelo Instituto para Educação e Pesquisa de Atenas e reuniu diretores, professores e alunos de universidades de diversos países para discussões relacionadas ao ensino de engenharia, com foco em inovação.

Diogo uniu um estudo de caso sobre o programa a um artigo que estava desenvolvendo para a conferência sobre o impacto de ações de educação empreendedora para estudantes de engenharia na fase final do curso. O artigo foi elaborado em conjunto com os professores da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) Marcos Barretto, coordenador executivo de AWC, e José Reinaldo Silva. Durante o painel, realizado no dia 7, Diogo falou sobre a importância de aproveitar o trabalho de conclusão de curso (TCC) para se criar novos espaços de empreendedorismo para os estudantes e apresentou o trabalho realizado em AWC como um caso de sucesso.

“Apresentei o que fazemos em termos de workshop, trilhas de aceleração e o programa de mentoria. Fiz um paralelo com estudiosos de educação para o empreendedorismo que falam de aprendizado baseado em práticas”, explica Diogo. “Não é aquela discussão teoria X prática, mas é um aprendizado real.” O coordenador de conteúdo mostrou os resultados da primeira edição – quatro dos sete grupos finalistas continuaram investindo em seus projetos – e contou como está sendo a edição de 2016, inclusive os resultados positivos do Workshop Online, que aconteceu nos dias 7, 14 e 21 de maio.

Segundo Diogo, a participação no evento proporcionou uma troca de experiências e contatos com representantes de universidades de vários países, que podem gerar novas ideias para implementar no programa. “Estou muito feliz com a receptividade e elogios ao que estamos fazendo”, diz.

23
maio

Grupos da 2ª chamada participam do Workshop Online de AWC

Os grupos selecionados na 2ª chamada de Academic Working Capital em 2016 participaram do Workshop Online, realizado nos dias 7, 14 e 21 de maio. O objetivo do workshop foi preparar os estudantes para o trabalho que será realizado ao longo do ano, com o mesmo conteúdo abordado no Workshop I, que aconteceu entre 18 e 20 de janeiro na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP).

As palestras e apresentações foram transmitidas ao vivo via YouTube pelo professor do Departamento de Engenharia Mecatrônica e Sistemas Robóticos da Poli-USP e coordenador executivo de AWC, Marcos Barretto; pelo engenheiro mecatrônico e coordenador de conteúdo do programa, Diogo Dutra; e pelo sócio da consultoria em inovação e design CAOS Focado, Miguel Chaves. Eles orientaram os grupos a elaborar uma Matriz CSD e um modelo de negócios Canvas, identificar e entrevistar possíveis usuários para esquematizar sua jornada e planejar os ciclos do projeto e as funcionalidades do produto.

Ao longo do workshop, os grupos se reuniram em salas do Hangouts para discutir suas ideias e trocar opiniões sobre os projetos. Eles foram divididos em três clusters, de acordo com as especificidades dos projetos: sci tech, produtos tech e soft/apps. Os coordenadores de AWC e Miguel Chaves acompanharam todas as atividades e esclareceram dúvidas dos estudantes. Além disso, as discussões via Hangouts contaram com a participação e o apoio dos monitores do programa: André Dib, Gabriel Merici, Lili Sartori, Juliana Uechi, Maurício Carneiro e Kenzo Abiko.

No final, os clusters se misturaram para apresentar as propostas de valor de cada produto e receber feedbacks dos outros grupos e da equipe de AWC. Há projetos voltados para as mais diferentes áreas, como um carrinho de compras com uma plataforma motorizada para auxiliar pessoas com dificuldades físicas e motoras; um nanoplástico que conserva os alimentos e é feito de maneira mais econômica do que a convencional; e curativos inteligentes que monitoram continuamente pacientes de hospitais e clínicas médicas.

Agora, os grupos vão prosseguir com as atividades iniciadas no workshop para validar sua proposta de valor e receberão acompanhamento semanal dos monitores de AWC. O próximo workshop será presencial e acontecerá nos dias 18, 19 e 20 de julho, com a participação dos 27 grupos da 1ª e da 2ª chamada e com foco na prototipação.

Este slideshow necessita de JavaScript.