Instituto TIM
18
set

Workshop II: Feira de feedbacks encerra os dois dias de atividades

O dia 16 de setembro foi o último do Workshop II do programa Academic Working Capital 2018 – ao mesmo tempo, foi uma primeira prévia do que vai acontecer na Feira de Investimentos, que ocorrerá em dezembro!

O segundo e último dia do Workshop começou na sala principal da Fundação Vanzolini com uma conversa de introdução com os participantes sobre investimentos. O coach Artur Vilas Boas iniciou o dia e a palestra trazendo o que e como seriam os diferentes tipos de investimentos, ou fundings como são também conhecidos, que os grupos poderiam considerar. Foi abordada a diferença entre fundos de venture capital e investidores-anjo e os cuidados que devem ser tomados ao buscar e receber um investimento. “Os fundos de investimentos também evoluíram paralelamente a trajetória do empreendedorismo no país, então hoje existe uma divisão dos tipos e tamanhos de fundings de acordo com a maturação das startups”, orientou Artur ao falar sobre os requisitos necessários para cada tipo de investimento.

Outro tema que apareceu nessa conversa foi o papel das aceleradoras neste processo de crescimento da empresa e como se negocia o equity, capital da empresa, com os novos investidores. “E nunca se esqueçam que os melhores investidores da suas empresas sempre serão os clientes!”, finalizou Artur.

 

IMG_8132

A segunda palestra do dia ficou por conta do investidor Marco Poli, da organização Anjos do Brasil. Ele conduziu uma conversa informal porém com muitos pontos de questionamento com os universitários sobre como é a rotina de uma startup e as diferenças entre ter clientes b2b (empresa vendendo para empresas) e b2c (empresas vendendo para consumidor final). Marco também deixou claro a importância de ter as pessoas certas para atividades importantes da empresa. “É um erro comum e repetido de startup querer contratar pessoas com pouco conhecimento para tocar áreas importantes, então escolham bem seus parceiros e colaboradores e busquem por competências fundamentais para o negócio rodar”, completou.

Após as palestras, os estudantes voltaram a se reunir em seus clusters para trabalhar nos projetos. Eles incorporaram os feedbacks recebidos da equipe AWC, mentores e palestrantes, e aperfeiçoaram suas ideias com as experiências adquiridas. Os coaches Artur Vilas Boas, Rodrigo Franco, André Dib, Isabela Modesto e o professor da Poli-USP, Marcos Barretto usaram esse momento para ajudar na preparação dos grupos para a feira de feedbacks. A ideia é que no período da tarde, os participantes pudesses aproveitar a oportunidade de apresentar suas soluções a um público completamente novo, extrair mais comentários e aproveitar para treinar seus pitches.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

No período da tarde, todos se encaminharam para o salão do 16º andar do prédio da FIESP, onde já acontecia o Festival de Empreendedorismo, e que recebeu os grupos de AWC para exporem seus projetos ao público presente. Já no local, os participantes montaram suas bases com apresentações, protótipos e muita vontade de receber amigos, convidados e investidores presentes, como Carlos Fenerich e Marco Zili, do PoliStart, parceiro de AWC. Todos se esforçaram para expandir sua rede de contatos, validar a dor do usuário e mostrar os números que já tinham conquistado até ali.

Antes de encerrar oficialmente as atividades do dia, o professor Marcos Barretto disse algumas palavras em agradecimento ao público que tinha comparecido e contou um pouco mais sobre como o programa AWC complementa e auxilia tudo que acontece dentro das universidades. O professor também elogiou os grupos por terem aproveitado a experiência de falar com pessoas novas e que desconheciam seus projetos. “Pescar em mar aberto é assim, a gente nunca sabe o que vai acontecer, quando a gente vai pra uma conversa com um público novo é assim, não sabemos o que esperar das perguntas”, disse o professor Barreto aos alunos, relacionando a feira como sendo um local onde o público poderia perguntar qualquer coisa sobre os projetos, por isso a importância de se prepararem para essa nova etapa.

Uma última surpresa aguardava os participantes de AWC 2018, em pareceria com a HackBrasil, 5 grupos foram selecionados para participar de um processo seletivo da aceleradora que premiará os vencedores com um valor em dinheiro e também um curso em Harvard e no MIT, com todas as despesas pagas. As equipes selecionadas foram: Centrics, NextCam, HeliDrop, AquaLuz e ECGP. Eles agora precisam gravar um vídeo de até 5 minutos contando suas histórias e soluções e enviar para a competição. Com o fim do Workshop II, os grupos seguem com os acompanhamentos quinzenais com seus coaches e entram no processo de construção de seus protótipos finais e na preparação para a Feira de Investimento, que acontecerá em dezembro.